terça-feira, 16 de dezembro de 2008



Diante do medo um sorriso aeróbico
Nas bochechas a caimbra de uma alegria incompleta
nada como um sorriso burro e paranóico
Para não perceber a velocidade terrível da queda.










Nenhum comentário: